Atualidades

Mais da metade dos mariscos consumidos na Região dos Lagos podem estar contaminados

Segundo levantamento realizado pela ONG SOS Aves e Companhia, cerca de 60% dos mariscos consumidos nas cidades da Região dos Lagos provêm da Baía de Guanabara, perto dos pilares da Ponte Rio-Niterói. O problema, segundo a ONG, é que a área sofre com poluição da água e da falta de higiene de catadores, o que pode contaminar os seres vivos que vivem na região. Além disso, os mariscos são arrancados das pedras em tamanho inferior ao permitido por lei.

O presidente da ONG, Paulo Maia, vai encaminhar ao Ministério Público Federal um dossiê com fotos e exames que comprovam a denúncia de crime ambiental. O objetivo é que a Justiça fiscalize o trabalho dos catadores e que evite com isso uma possível extinção dos mariscos. Para Paulo Maia, os moluscos são lavados e cozidos nas praias do Flamengo e Gragoatá, em Niterói, e ensacados sem condições de higiene.

Representantes da ONG SOS Aves e Companhia vão ficar uma semana nas cidades da Região dos Lagos fazendo um trabalho de conscientização com os catadores de mariscos.

 

Artigo anterior

Rede Municipal de Ensino começa a efetivar matrículas nesta terça (27)

Próximo Artigo:

Um tour por mansões mal assombradas

Christopher Lima

Christopher Lima

Sou formado em Comunicação Social (Jornalismo). Quem quiser saber mais, basta clicar no link do fb.

Sem comentário

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *