Atualidades

As mulheres atualmente produzem metade da ciência no Brasil

A maior editora científica do mundo, Elsevier, divulgou os resultados de um relatório muito importante. O ‘Gender in the Global Research Landscape’ (Gênero no Panorama Global de Pesquisa) foi baseado no levantamento de dados de publicações acadêmicas feitas por mulheres. Contando ao todo com 11 países e União Europeia.

A pesquisa considerou informações levantadas de 1996 a 2000 e de 2011 a 2015. Chegando na conclusão de que, no Brasil, a porcentagem de mulheres que publicam artigos científicos cresceu 11% nos últimos 20 anos. Atualmente o número de publicações femininas é 49% do total.

Em comparação aos outros países

E comparados aos outros países pesquisados, Brasil e Portugal são os que mais possuem publicações feitas por mulheres. Na Austrália, Canadá, Dinamarca, França e Reino Unido, a porcentagem chega a 40% do total. Para a pesquisa, esse valor já é considerado patamar de igualdade. Enquanto isso, Portugal era o único que, no período de 1996 a 2000, já contava com taxas de publicações de mulheres superiores a 40%.

De acordo com as áreas

No Brasil, uma em cada quatro publicações de medicina tem uma pesquisadora como autora principal. Já nas áreas de matemática e ciências da computação, as mulheres ainda são minoria. Mais de 75% dos autores dos trabalhos são homens em boa parte dos países pesquisados.

Apesar do grande avanço da igualdade de gêneros na área de pesquisas, o mesmo não se repete nos cargos de liderança do universo científico. Setores como chefia de departamentos, coordenadoria de linhas de pesquisa ou reitorias de universidades ainda são dominados pelos homens.

Anteriores

Você sabe o que é a Lei Rouanet?

Próximas

Universidade oferece atendimento psicológico em Cabo Frio a preços populares

Raissa Lopes

Raissa Lopes

Estudante de Jornalismo, amante de livros e curando o tédio com curiosidade.

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *