Sem Categoria

Grupo de bordadeiras de São Pedro da Aldeia adota aulas virtuais durante quarentena

A arte do bordado tem servido como forma de terapia para um grupo de moradoras de São Pedro da Aldeia desde a criação do projeto “Bordado Solidário”. Durante o período de distanciamento social, recomendado para evitar a propagação do coronavírus, o grupo de bordadeiras aldeense recorreu às aulas virtuais para manter a prática e aprimorar sua arte.

Aos 61 anos de idade, a professora aposentada Anna Lúcia Corrêa, que tem seguido todas as medidas de prevenção à doença, está entre as alunas que adotaram o ensino à distância e afirma que as aulas virtuais são uma forma de distração neste período. “O bordado presencial me distrai muito e por WhatsApp, à distância, também. Está sendo uma delícia, é como uma aula particular, a instrutora Kátia passa as informações com muito cuidado; temos aulas e tarefas de casa, que apresentamos para o grupo. É claro que sinto falta do contato com todas, mas a gente se fala pelo aplicativo, tiro dúvidas a qualquer momento”, afirma.

As videoaulas são gravadas pela instrutora de artesanato Kátia Carvalho e encaminhadas para o grupo de 17 bordadeiras no aplicativo WhatsApp. As alunas, em sua maioria senhoras, têm a liberdade para fazer os exercícios propostos nos momentos de disponibilidade dentro de suas rotinas. As aulas são enviadas uma vez por semana, sempre às quartas-feiras. Todo aprendizado é registrado em um “caderno memória”.

Anteriores

ACIA propõe criação do Fundo Municipal Emergencial de Combate aos efeitos do Covid-19

Próximas

Cabo Frio: prefeitura vai demitir contratos temporários da Educação

Christopher Lima

Christopher Lima

Sou formado em Comunicação Social (Jornalismo). Quem quiser saber mais, basta clicar no link do fb.

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *