Variedades

Pandemias: Conheça cinco das principais doenças

Com o panorama atual do novo coronavírus – que em poucos meses se espalhou rapidamente e já infectou e causou a morte de milhares de pessoas em centenas de países – o medo está se espalhando na mesma proporção. Porém, esta não é a primeira vez que uma doença tão avassaladora muda a rotina de grandes países ao redor do mundo.

O cenário atual se assemelha a outros momentos tão difíceis quando este que estamos vivendo.

Tendo em vista tal situação, conheça cinco das principais doenças que, assim como a Covid-19, causou a morte e a infecção de milhares de pessoas ao longo da história da raça humana, de acordo com informações do Ministério da Saúde.

Gripe Suína (H1N1):

Conhecida como Gripe Suína, o H1N1 foi o primeiro causador de pandeia do século 21. O vírus surgiu em porcos no México, em 2009, e se espalhou rapidamente pelo mundo no mesmo ano, matando cerca de 16 mil pessoas. No Brasil cerca de 627 pessoas foram infectadas pela doença, de acordo com o Ministério da Saúde.

Cólera:

Segunda o Ministério da Saúde, a Cólera é uma doença bacteriana infecciosa intestinal aguda, transmitida por contaminação fecal-oral direta ou pela ingestão de água ou alimentos contaminados.

Frequentemente, a infecção é assintomática ou causa diarreia leve. Pode também se apresentar de forma grave, com diarreia aquosa e profunda, com ou sem vômitos, dor abdominal e cãibras. Quando não tratada prontamente, pode ocorrer desidratação intensa, levando a graves complicações e até mesmo ao óbito. A doença está ligada diretamente ao saneamento básico e a higiene.

O período de incubação da bactéria, tempo que leva para provocar os primeiros sintomas no organismo, varia de algumas horas a 5 dias da infecção. Na maioria dos casos, esse período é de 2 a 3 dias.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, o período de transmissibilidade perdura enquanto a pessoa estiver eliminado a bactéria nas fezes, o que ocorre, na maioria dos casos, até poucos dias após a cura. Para fins de vigilância, o período aceito como padrão é de 20 dias.

A primeira pandemia mundial da doença aconteceu em 1817, matando centenas de milhares de pessoas.

No Brasil, já teve vários surtos da doença, principalmente em áreas mais pobres do nordeste.

Peste Bubônica:

Doença mais comum no Brasil, o quadro clínico da Peste Bubônica se apresenta com calafrios, cefaleia intensa, febre alta, dores generalizadas, mialgias, anorexia, náuseas, vômitos, confusão mental, congestão das conjuntivas, pulso rápido e irregular, taquicardia, hipotensão arterial, prostração e mal-estar geral.

Os casos da forma bubônica podem, com certa frequência, apresentar sintomatologia moderada ou mesmo benigna. No 2º ou 3º dia de doença, aparecem as manifestações de inflamação aguda e dolorosa dos linfonodos da região, ponto de entrada da Y. Pestis.

Esta praga, considerada a causadora da Peste Negra, pode ter reduzido a população mundial de 450 milhões de pessoas para 350 milhões.

Varíola:

Doença que atormentou a humanidade por mais de 3 mil anos, o vírus da Varíola era transmitido de pessoa para pessoa, por meio das vias respiratórias. Os sintomas da doença eram compostos por febre, seguida de erupções da garganta, na boca e no rosto.

Felizmente, a varíola foi erradicada do planeta em 1980, após campanha de vacinação em massa.

Gripe espanhola:

Acredita-se que entre 40 e 50 milhões de pessoas tenham morrido na pandemia de Gripe Espanhola de 1918, causada por um vírus influenza mortal. Mais de um quarto da população mundial na época foi infectada, até o então presidente do Brasil da época, Rodrigo Alves, morreu da doença, em 1919.

O vírus veio da Europa, a bordo do navio Demerara. O transatlântico desembarcou passageiro infectados no Recife, em Salvador e no Rio de janeiro.

Para mais informações, acesse o site: https://saude.gov.br/saude-de-a-z

Anteriores

Confira o boletim do coronavírus das cidades da Região dos Lagos

Próximas

São Pedro da Aldeia confirma primeiro óbito decorrente ao Coronavírus

Gabriela Pereira

Gabriela Pereira

Jornalista apaixonada pela arte da escrita.

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *